Textos de Vanessa Carvalho

"A sua consciência tem um peso maior do que a opinião de qualquer pessoa."




Direitos Humanos - Texto de Vanessa Carvalho

É por natureza uma condição implícita e explícita da realidade humana.

Enquanto seres viventes, possuem direito a cidadania, a integridade e respeito.

É um direito inalienável.

Todo ser racional tem que ser tratado igual, com direitos e deveres, fazendo parte da rotina de vida.

È um processo natural nas sociedades, onde suas leis e a própria consciência impõe limites sobre as decisões.

Diante disso, por que tantos direitos sendo criados em estatutos que, de certo modo, dão privilégios a uns em detrimentos de outros?

A sociedade precisa de menos papel, menos burocracia e mais bom senso para determinar suas ações.

Estatuto do idoso, da criança, vagas de negros para as universidades e por ai vai essa loucura.

Deveria ter então, estatuto das pessoas que estão no meio dessa faixa etária.

Desde quando sessenta anos é incapaz e dezesseis anos ou quatorze anos não sabe o que estão fazendo?   

Deveria ter limite de vagas nas universidades para albino, gordo, alto, magro.

Deveria ter preferência nas filas, trabalhadores que tem uma hora para almoço e quando saem do serviço, todo o comércio já está fechado.

Esses não possuem direito nenhum, somente dever de dar seu lugar para gestantes, mães com criança de colo, deficientes.

Deficientes estes que falta apenas um dedo, ou que escuta pouco, ou que falta um braço.

A impressão que se tem, é que, quem tem direito, são as pessoas do estatuto.

O restante é obrigado aceitar tudo e todos como fardos da vida, por terem entre dezoito e cinqüenta e nove anos.

Estranho esse pais, esposas de presos que praticaram diferentes crimes, tem direito a salário mensal para ficar em casa e cuidar da prole.

É tanta asneira sem fundamento, que não cabe aqui salientar todas.

Cabe tomar consciência e agir para que este pais não seja decidido por pessoas sem qualificações e que usam do poder para aparecer. 

Todos têm direito a moradia, transporte, saúde, alimentação, educação, trabalho, e compete cada um correr e batalhar para conseguir o seu espaço.

Tem situações que são mais específicas e merecem um carinho maior.

Tem pessoas quem em determinado momento estão mais vuneráveis e  precisam de certa prioridade.

Agora, generalizar e todos do estatuto serem tratados como vítimas e o restante culpados, é sem fundamento.

Não condiz com os direitos humanos em todo seu contexto.

Se você está sentido muita dor e aguarda para ser atendido e chega uma pessoa de sessenta e dois anos e também está com muita dor, quem tem prioridade?

A sua dor é menos importante que a do idoso?

É notável o tanto de pessoas da terceira idade que fazem plástica, correm, viajam e tem uma vida muito saudável.

Para que serem tratadas como incapazes?

O mundo mudou e hoje a idade não tem o peso de antigamente.  

È muito sem noção esse tanto de lei que existe no Brasil.

Um menor de dezesseis anos mata alguém e não pode ficar preso, mas pode escolher o presidente, vereador, deputado.

Que direitos são esses, e os deveres?

Agora, a palavra da moda é homofóbico, e a sensação é que todos devem apoiar sua preferência sexual. 

Respeite também quem não goste e aprove homens se beijando em público e mulheres se agarrando na rua.

Mesmo porque, não é nada bonito que heterossexuais também se mostrem tanto.

Quantas pessoas gordas ou feias não conseguem emprego, nem são bem aceitas pela sociedade.

Quantos anões e gigantes espalhados por ai, que apresentam limitações físicas, e são constantemente criticados.

E então, quantas leis ainda vão ser criadas?

É difícil viver em um país que fica a caça de diferenças naturais para dificultar a vida.

Seria mais favorável  investir em educação, em profissionais habilitados para tratar dos problemas pessoais de cada um.

Se você tem características peculiares e todos têm, se aceite, trabalhe sua cabeça para te amar do jeito que é.

A opinião dos outros, é mera opinião.

O direito é para todos, não importa sua classificação, e o dever é na medida certa do seu direito.

Planeje a sociedade de modo que tenha receptividade para aqueles quem tem dificuldades de se locomover, enxergar, ouvir, mas não tire dos outros o direito de ir e vir.

A opção de vida é sua. A sua aparência física te foi dada de presente.

Aceite, só você pode se posicionar diante dela.

Não há aqui nada contra idosos, crianças, adolescentes, negros, homossexuais, a questão básica e relevante é que direitos humanos nasceu para todos, e nosso pais apresenta situações bem mais emergencial.

Situações de vida ou morte que merecem  prioridades.

Não poderia as cartilhas educativas substituírem os estatutos?  

Enquanto a mídia der espaço para essas picuinhas e desviar o foco da triste realidade básica que vive o pais, as pessoas vão continuar acreditando e incentivando políticos que entram para o plenário, com o intuito de resolver problemas pessoais.

Não precisa existir defensores de direitos humanos.

Ele é de todo mundo, como o ar que se respira, como o suor que escorre de seu corpo, como a água que saceia sua sede, como os amores guardados em seu peito.

Ele te acompanha desde o nascimento e vai ficar com você até o dia de sua partida.

É direito seu ter direito.

Do lado do direito do outro, está também o seu.